Arquivo da tag: jornalismo; reportagens; twitter

O Jornalismo e o Twitter

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA         Eu não sou repórter, embora ache essa uma das profissões mais interessantes e belas que existem. Confesso, inclusive, ser essa uma frustração, por mais que eu ame minha profissão. Não sei se um dia serei plenamente realizado se não fizer algo relacionado a jornalismo.

Antes dos meus dez anos de idade, li e reli um almanaque Disney com histórias em quadrinhos sobre essa profissão. Empolgado, até criei, junto com meus primos, um jornal improvisado, com direito a máquinas de escrever e mimeógrafo.

Não preciso dizer que não ficamos ricos com a ideia.

Mas já foi dito que “quem sabe faz e quem não sabe critica”. E como eu não sei, passo diretamente à opção que me resta.

O jornalismo, como toda profissão, é formado por profissionais competentes e por alguns, digamos, nem tão competentes assim. E os últimos ganharam um grande aliado nos últimos anos: o Twitter.

Explico.

Com a popularização do microblog, ficou extremamente fácil para alguns profissionais conseguirem matérias jornalísticas sem nem mesmo precisarem colocar os pés na rua. Fazem isso simplesmente acompanhando o perfil de personalidades que costumam despertar o interesse do público e relatando as postagens.

É algo válido. Mas alguns veículos de comunicação, principalmente portais de internet, têm abusado dessa facilidade.

Hoje em dia é bastante comum encontrar em páginas da internet notícias sobre pessoas famosas obtidas exclusivamente do Twitter, prescindindo de qualquer habilidade ou dote jornalístico para se elaborar uma matéria.

O jornalismo clássico, aquele que o profissional busca com afinco uma matéria, obtendo declarações e fotos que não podem ser encontradas em nenhum outro lugar, está cedendo espaço a um jornalismo descompromissado, acomodado, totalmente dependente do que uma pessoa disponibiliza em sua página do Twitter ou em seu blog.

Profissionais que atuam dessa forma, além de tudo, costumam atribuir a si o feito de conseguir uma notícia, ainda que seja algo que qualquer pessoa com cadastro na rede da baleia voadora obteria. Seguem apenas algumas futilidades apresentadas à exaustão como “reportagem” em portais de notícias na internet:

Susana Werner vira professora de Português no Twitter

Juliana Paes anuncia no Twitter que espera um menino

Túlio Dek posta foto de 1996 com Bruno De Luca no Twitter

Preta Gil faz ensaio para revista de boate e posta no Twitter

Gyselle Soares conhece Gerard Butler e posta foto no Twitter

Fã tatua nome e rosto de Nana Gouvêa nas costas e atriz posta no Twitter

Alguns chegam a ser cômicos de tamanha trivialidade. São exemplos de matérias onde está claro que foram obtidas pelo Twitter. Mas há casos em que isso nem mesmo é mencionado.

Basta uma simples visita a alguns portais da internet para perceber que muitos profissionais permanecem todo seu tempo navegando no microblog, buscando supostas “notícias”, sem se preocuparem em conseguir, por meios próprios, uma exclusiva.

Ser jornalista dessa forma é extremamente conveniente, mas não acredito que os profissionais sérios que pertencem à classe, concordem com esse tipo de conduta.

Evidentemente, essa prática jamais substituirá uma reportagem bem feita, com critérios e pesquisas. Mas, como já dito, alguns veículos têm exagerado no modo de preencher os espaços em suas páginas de notícias.

Que os internautas sempre se interessarão por assuntos que envolvam a vida de celebridades não há dúvida. Porém, quanto mais alguns portais insistirem em usar o Twitter como única fonte de notícias, menos credibilidade terão para os internautas que prezam por confiabilidade e imparcialidade na busca por informações.

Sempre lembrando que este que vos escreve é um grande admirador do Twitter. Imagine se não fosse.

POR ANDRÉ MORAES (WWW.TWITTER.COM/SOCIEDADE_REDE)

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Análises, twitter