Arquivo da tag: dicas

Todo Mundo Junto

BlkKitten1 Quem acompanha a evolução das redes sociais e dos mecanismos de comunicação online muitas vezes se perde para administrar todos os perfis criados.

Isso é perfeitamente normal e eu não sou diferente. Afinal, já parou para pensar em quantos sites você já se cadastrou?

Se levarmos em consideração apenas as ferramentas já citadas no blog, uma pessoa que criasse um perfil em todas elas teria que administrar “apenas” as contas de Facebook, Orkut, Twitter, My Space, além de comunicadores como MSN e ICQ. E isso porque, por enquanto, eu não mencionei outras redes famosas como LinkedIn e Gengibre.

Como disse, por enquanto!

Acho humanamente impossível que se consiga dar o devido cuidado a todas as redes disponíveis. Não somente por questão de tempo, mas até por interesse também.

Diante de toda essa diversidade, também torna-se muito complicado para outras pessoas, que possuem mais de um perfil na rede, saber quais são as redes sociais e as ferramentas de comunicação que utilizamos e se coincidem ou não com as delas. Seria preciso se cadastrar em todos os sites possíveis e imagináveis para se descobrir quais se costuma frequentar.

Mas há uma forma de concentrar todas as suas informações em um só lugar, tornando mais fácil ser encontrado (claro, se “ser encontrado” for mesmo a intenção).

Chama-se Me Adiciona.

Reconheço que para isso é preciso que se crie mais um perfil. Mas através do site é possível disponibilizar em apenas uma página da internet todos os perfis existentes. E não apenas redes sociais, mas também blogs e e-mails (que eu não recomendo, a não ser que seja um endereço alternativo).

MeAdiciona

Ao fazer o cadastro haverá a opção para incluir fotos e alguns dados. A escolha fica a critério do usuário. Recomendo apenas não selecionar nenhuma opção para recebimento de e-mails do site ou de parceiros, para evitar spams. Aceite apenas os termos do serviço.

Após o cadastro, clique em “Meus Serviços”. Lá haverá uma lista de muitos sites (muitos mesmo). Selecione na lista os sites que participa e depois o endereço de seus perfis. Por exemplo, para o Orkut, selecione “Orkut” e depois inclua o link da sua página principal, ou seja, o que aparece na barra de navegação quando alguém encontra seu perfil.

Atenção. É preciso cuidado porque o endereço de seu perfil não é  http://www.orkut.com.br/Main#Home. Esse endereço aparece na página inicial de todos os usuários ao acessar a própria conta e não servirá para que outras pessoas o encontrem. Para saber o seu endereço verdadeiro, clique na sua própria foto (ou em perfil) e veja a barra de navegação. É esse o endereço que as pessoas acessam para encontrá-lo dentro da rede.

O procedimento é o mesmo em todos os outros sites.

Pessoalmente, acho muito boa a ideia, pois pode-se divulgar todos seus perfis através de apenas uma única página. A minha é http://meadiciona.com/aafmoraes. Destaco apenas como ponto negativo os insistentes – e inevitáveis – banners de propaganda e a ausência de uma ferramenta que localize contatos dentro das redes sociais. Já um ponto positivo é a possibilidade de se aumentar o número de visitas em blogs e de contatos nos comunicadores. Sites de fotos, como o Picasa, e vídeos, como o Youtube, também são suportados.

Quanto à segurança, não haverá perigo. Mesmo que seu perfil no Me Adiciona seja público, para se resguardar, basta que seu perfil dentro de cada uma das redes não o seja.

Pronto! Seus contatos não se perderão diante de todas suas contas, seja de e-mail, blogs, comunicadores ou redes sociais.

Ah! E nem você também. Ufa!

POR ANDRÉ MORAES (http://meadiciona.com/aafmoraes)

2 Comentários

Arquivado em dicas

Uma Nova Linguagem

wordsCN_4501(2) Li um texto bastante interessante no blog da Mônica Falsarella sobre a linguagem usada na internet e suas implicações na escrita convencional, principalmente no caso dos jovens.

Recomendo. Clique aqui para ler.

POR ANDRÉ MORAES (WWW.TWITTER.COM/AAFMORAES)

4 Comentários

Arquivado em dicas

Dentro da Legalidade

Picture_038_t

Na semana passada, algumas pessoas elogiaram as imagens de abertura que utilizo nos posts, logo após o título. Agradeço. Não é segredo que as consegui na internet, com o intuito de ilustrar o texto. O que poucos sabem é que elas possuem uma característica em comum: são livres de direitos autorais e sua publicação não possui restrições.

A vantagem de utilizar esse tipo de imagem é justamente evitar problemas judiciais futuros. E esse é um cuidado que as pessoas acabam se esquecendo de tomar.

Mas como conseguir fotos que possam ser publicadas livremente em blogues, sites da internet e até mesmo em trabalhos acadêmicos, sem que haja qualquer infração a direitos autorais?

Não é difícil.

O modo mais fácil – por incrível que pareça – é  utilizar um dos sites de fotos mais populares da internet. Não estou falando de Google Images, mas do não menos conhecido Flickr. Porém, não basta procurar e copiar as imagens do site, uma vez que desse modo não é possível saber se há restrições legais para a sua publicação. É preciso distingui-las. E o próprio Flickr faz esse papel.

Para isso, entre na página de busca do Flickr (clique aqui para abrir). Depois, ao lado do campo a ser preenchido, clique em “busca avançada”. Na parte de baixo da tela que abrirá, selecione a opção “busque apenas no conteúdo licenciado pelo Creative Commons”. Sugiro também que se selecione as duas opções seguintes, ou seja, “localizar conteúdo para usar comercialmente” e “localizar conteúdo a ser modificado, adaptado ou criado”.

Pronto! Agora basta voltar para a parte de cima da tela e preencher a busca com os termos desejados. Sugiro palavras em inglês, pois a diversidade de fotos é maior.

Agora, se quiser um site não tão vasto, mas com fotos de resolução bem superior, sugiro o Morgue File (www.morguefile.com). Nele não há truque. Basta que se faça a pesquisa, mantendo-se a opção “Free photos” na caixa de diálogo. O curioso é que no Morgue File não é possível copiar a foto com o botão direito do mouse, mas se pode fazer o download através de um botão próximo à imagem.

Não há mais motivos para publicar fotos infringindo o direito de terceiros. A dica está dada e não serve apenas para blogueiros ou para quem trabalha na elaboração de sites na internet, já que até mesmo fotos em sites de relacionamento podem infringir direitos autorais.

Mas se mesmo assim você quiser insistir, caso precise de um advogado no futuro, posso indicar um bom.

POR ANDRÉ MORAES (WWW.TWITTER.COM/AAFMORAES)

Deixe um comentário

Arquivado em dicas

Lição de História

Banana Inspection, Baltimore, MD, ca. 1910
88-GS-92-C1608
RG 88
01970_2005_001

Ok, a dica pode não ter muita relação com redes de relacionamento, pelo menos no sentido estrito, mas vale o seu clique.

O site Internet Archive tem em seus registros mais de 150 bilhões de páginas arquivadas a partir de 1996. Basta que se digite um endereço como www.terra.com.br ou www.fiat.com.br para se obter, cronologicamente, um verdadeiro histórico de todas as páginas que já ficaram (mundialmente) disponíveis on line e assim poder visualizá-las.

É verdade que muitas delas possuem links “quebrados”, pois remetem a matérias que não estão mais disponíveis. Porém, há outras que podem ser encontradas quase intactas.

Old Terra

É interessante poder relembrar fatos ocorridos há mais de dez anos, como a histórica vitória do seu time ou as críticas de um espetáculo que se esteve presente. Na página do Terra, por exemplo, com data de 10 de maio de 2000, é possível ver a chamada – quebrada, infelizmente – de uma vitória de Gustavo Kuerten sobre Mark Philipoussis, em seus bons tempos de campeão.

O UOL também disponibiliza um serviço semelhante. Apesar de restrito às suas páginas (e somente permitir consultas a partir de julho de 2006), os links raramente falham, a formatação da página não se altera mesmo com navegadores menos usuais e é possível obter quase todas as matérias na íntegra.

Quanto às redes de relacionamento, como geralmente requerem login, é óbvio que o conteúdo interno não se encontra disponível. Mas ainda assim é muito bom relembrar os antigos layouts, como os do Orkut (abaixo), de quando só era disponibilizado como linguagem o inglês.

E também não te dava “donuts” quando travava.

Old Orkut

Bons tempos aqueles, não?

POR ANDRÉ MORAES (WWW.TWITTER.COM/AAFMORAES)

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Um Twitter Poderoso

Que o Twitter é uma ferramenta extremamente simples não resta a menor dúvida. E assim deve ser, pois sua popularidade reside exatamente nessa característica, especialmente na restrição de caracteres, pois torna a leitura fácil e despretensiosa.

Mas muitas pessoas não concordam e se você quer dar uma “apimentada” na sua página do microblog (e usa o navegador Firefox), a dica é baixar um complemento chamado Power Twitter.

Com ele, todas as vezes que o site for acessado, sem a necessidade de um programa aberto simultaneamente, alguns interessantes recursos estarão disponíveis, como por exemplo o título das páginas dos links, apresentados de forma separada do texto.

Post 1

Isso confere uma prévia à página que será visitada, além de dar destaque ao link, que muitas vezes fica camuflado no meio de outros links, #tags e usernames.

Outro recurso muito interessante é o encurtamento de links muito grandes, evitando que os 140 caracteres sejam excedidos facilmente. Também é possível postar fotos diretamente aos sites de compartilhamento de imagens como “Yfrog” ou “Twitpic” por meio de um botão acima da caixa de texto.

Tudo na própria página do Twitter!

Mas para mim o mais útil foi mesmo o recurso de visualização de imagens. Explico. Quando alguém “posta” alguma foto em um dos sites de compartilhamento de imagens (Yfrog, Twitpic), nem é preciso clicar no link para visualizá-la. O programa abre a imagem no próprio navegador.

Veja o exemplo abaixo:

Post

Como eu sigo muitos artistas de quadrinhos e fotógrafos que postam imagens de seus trabalhos, achei essa ferramenta de grande praticidade, pois nem é preciso abrir uma nova aba do navegador para que se possa conferir a obra.

O único ponto negativo do complemento é o fato de que alguns caracteres em português surgem truncados, principalmente acentos e “ç”, pois o programa só possui a versão em inglês.

Mas são “falhas” que não tiram o mérito do programa e que futuramente podem ser corrigidas. Recomendo mesmo assim.

Para baixar o complemento para seu Firefox diretamente do Baixaki, clique aqui.

Abraços

 

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria